Empate gigante com a Ponte em Campinas

Postado em 14/09/2022
Mário Sérgio marcou seu segundo gol nesta Série B

Os dois melhores clubes paulistas da Série B se enfrentaram no Moisés Lucarelli, em Campinas, para um confronto direto. Ao vencedor além da melhor posição local, teria a aproximação do primeiro objetivo. Desde a virada do turno, o Ituano tem feito boa campanha. Inclusive fora de casa. Com duas vitórias, uma delas contra o Grêmio em Porto Alegre. Na última rodada do turno, já tinha buscado o empate com o Vasco. Foi justamente na 19ª rodada que também começou a reação da Ponte Preta com 6 vitórias seguidas em casa. Inclusive vencendo Bahia e Vasco, clubes do G4. O jogo agradou os mais de 3 mil torcedores que compareceram ao estádio e o empate foi justo. “Ponto gigante! Nos últimos 8 jogos da Ponte Preta no Moisés Lucarelli tinha sofrido um único gol, contra o Bahia. E nos últimos 6 jogos ela ganhou. E de três grandes. Isso mostra o nível que a Ponte está jogando futebol. O nível que estão competindo. Então cumprimos com os nossos propósitos como havia dito. Viemos para Campinas para pontuar. Evidentemente que todos nós queremos pontuar os três, mas você levar um neste nível de performance que a Ponte está apresentando, dentro dos seus domínios, é um ponto gigante. Lembrando que nós jogamos três dias atrás às 11 horas um jogo dificílimo. Então tenho mais que elogiar todos estes jogadores por tudo que abraçaram e pela superação. Saio muito satisfeito” comentou Carlos Pimentel que no Campeonato Paulista já havia conquistado um empate em Campinas, na última rodada da fase de classificação. Com o ponto conquistado, o Ituano subiu para 40 pontos e está na 7ª posição. Segue na frente entre os clubes paulistas na Série B.

Como esperado, os dois times começaram propondo o jogo. Ituano teve a primeira boa chance num lance rápido com Vinicius Jaú que recebeu lançamento e chegou finalizando. A bola desviou no zagueiro para escanteio. A Ponte respondeu após cruzamento de Elvis para Wallison cabecear com muito perigo. A bola raspou o poste do goleiro Jefferson. Aos 26, falta na entrada da área para o time campineiro. Elvis bateu com maestria e colocou no ângulo. O empate do Ituano veio ainda no primeiro tempo em lance bem trabalhado. Kaio da direita levantou para Brenner que só escorou de cabeça para o lateral Mário Sérgio mergulhar, e também de cabeça marcar o gol de empate. O lance enganou a defesa da Ponte que foi pega no contrapé. Brenner é o atacante de área que trocou os papéis com Mário Sérgio. Ele marcou seu segundo gol neste segundo turno. "A gente se entrosou pela comunicação. Gosto de entrar na área de elemento surpresa, o Brenner viu, ajeitou e eu pude finalizar" explicou Mário Sérgio. Antes do intervalo, Jefferson Paulino evitou novo gol da Ponte em dois chutes perigosíssimos. Primeiro uma bomba de Leo Naldi aos 37 e a outra aos 45 em chute no ângulo de Fessin. Duas grandes defesas! "A Ponte é muito forte aqui dentro, eles vêm para um jogo franco, mas suportamos bem. Um ponto aqui é de suma importância e agora temos duas partidas em casa para vencer e conquistar o principal objetivo do ano", afirmou o goleiro do Galo ao final da partida. Este foi o 13º empate em 39 confrontos entre Ituano e Ponte Preta. São 5 resultados iguais em Campinas. Demonstrando o equilíbrio entre os dois clubes do interior paulista.

Para manter este equilíbrio, o técnico Carlos Pimentel junto com sua comissão técnica teve que mudar a estratégia para esta partida. O Ituano havia jogado no último sábado pela manhã, enquanto a Ponte Preta havia feito sua última partida na quarta, 6 dias antes do confronto. Por isso, o Ituano veio com 5 alterações. “Muda no sentido que eu tive que girar o time. Todos sabem, principalmente após a janela da virada do turno, como Ituano e Ponte Preta se tornaram duas forças na Série B. De competição, de rendimento e de performance. A Ponte joga com muita intensidade, com suas linhas altas, numa zona `pressionante´ aguda. Então se o adversário não tiver pernas para jogar, com 100% de condições, terá muita dificuldade para jogar. O Ituano teve este desafio. Pois em três dias é humanamente impossível recuperar os atletas fisiologicamente e `bioenergicamente´. Lógico que não vamos trocar dez. Mas um setor eu tive a oportunidade de trocar. Sempre digo que a solução dos nossos problemas está dentro do nosso elenco. Quem entrou, entrou bem e levamos um ponto para Itu com muito brio e gana” explicou Pimentel. Agora o cenário muda para o próximo jogo. O Ituano só volta a jogar no outro sábado, dia 24, contra o Brusque no Novelli Júnior. “São 8 partidas que restam e o nosso foco continua o mesmo. Disputar os três pontos sempre. O Ituano tem um número mágico, que acredito que seja igual para todos os clubes da Série B, que são 44 pontos. Estamos a três pontos desta meta. Temos 11 dias para o próximo jogo. A gente ganha um tempo enorme. Que dá tempo de recuperar, de treinar e se preparar para o desafio contra o Brusque na nossa casa. Infelizmente às 11 horas da manhã. Mas isso não vai impedir de nós `performarmos” afirmou Pimentel.

 

Acaz Fellegger

Jornalista Mtb 19.426 SP

Miguel Schincariol

Fotografia

14/setembro

Patrocinadores:
Parceiros:
COPYRIGHT © 2022 - ITUANO FUTEBOL CLUBE. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.